Exposição no 3º Leite Fest - Curvelo


A Equipe dos Pássaros do Portuga esteve presente na exposição de pequenos animais do 3º Leite Fest.
Os Pássaros do Portuga contaram com Mandarins, Manons, Calafates e Rolinhas Diamante, todos do nosso criadouro, além de outros pássaros de parceiros. Entre eles, também foram expostos Diamante Gold, Calopsitas e Agapornis.
Todos eles com uma beleza incrível, encantaram à todos que visitaram o evento, que também estava rodeado de orquídeas e jardins montados ao lado no stand.
A exposição aconteceu no Parque de Exposições Antônio Salvo, durante a sexta, sábado, e na manhã de domingo, dias 25 à 28.
A participação dos Jardins de Linda Camilo, e do Orquidário de Belo Horizonte também encantaram os adoradores das plantas e artigos rústicos, entre outros.
Veja algumas fotos do evento:


















Equipe Pássaros do Portuga 2009

Rolinha Diamante



A Rolinha Diamante (Geopelia cuneata) é uma das espécies mais pacíficas entre as rolinhas, e pode ser criada num viveiro misto, em recinto fechado, sem quaisquer problemas.

Tamanho
Aproximadamente 18 a 20 centímetros

Alimentação
Painço, alpiste e misturas de sementes para aves tropicais de pequeno porte. Além disso, de vez em quando, pode dar-lhes verdura, milho, painço italiano e semente germinadas. Deve proporcionar sempre a estas aves um recipiente com areia, para que possam ingerir as quantidades necessárias. As Rolinhas Diamante bebem relativamente pouco.

Identificação Sexual
Um olhar especializado é capaz de detectar que, principalmente durante a época de gestação, a cor da auréola que rodeia os olhos dos machos é mais brilhante do que a das fêmeas.

Instalações
As Rolinhas Diamante podem perfeitamente ser criadas tanto num viveiro ao ar livre como num viveiro em recinto fechado. Como as aves não trepam, é mais importante que as gaiolas sejam amplas do que sejam muito altas. Também podem ser criadas em gaiolas.

Rolinhas Diamante aglomeradas

Ambiente
Esta espécie de rolinha é muito robusta. No entanto, em condições meteorológicas rigorosas, as aves devem ser retiradas para um abrigo noturno bem arejado e que proteja da geada.

Características
Manifestam comportamentos exemplares em relação a outras aves de menor porte, como os bicos-de-lacre. Durante a época de gestação, os machos desta espécie de rolinhas podem por vezes brigar entre si. Por isso, deve sempre alojar um par de rolinhas diamante por viveiro, ou dois pares caso o viveiro seja suficientemente espaçoso.

São aves calmas, raramente se banham, mas quando isso acontece, gostam de se molhar à chuva. Se o tempo se mantém seco durante muito tempo, pode borrifá-las com um borrifador de plantas por meio de um jato muito fino. As rolinhas diamante são verdadeiras adoradoras do sol. Também gostam de debicar a forragem espalhada pelo chão do viveiro.

Reprodução
É recomendado colocar ninhos em diversos pontos do viveiro. Eles devem ter pelo menos 12x12 centímetros e uma altura de aproximadamente 5 centímetros.

Estas aves preferem ninhos em estrutura de arame ou caixa semi-abertas. O ninho é feito de todo tipo de material como feno e galhos. Também pode ser usado ninhos para Canário Belga, de tamanho grande, encontrados em lojas especializadas. Antes, durante e após a época de gestação, as aves tem uma necessidade carecida de alimentos a base de ovos. As Rolinhas Diamante botam cerca de 2 a 4 ovos. 

Ninho com ovos de várias Rolinhas Diamante
Os pais repartem a responsabilidade de incubação dos ovos, o que dura aproximadamente 12 a 13 dias. Durante os primeiro dias de vida, a fêmea alimenta as crias de lente de pombo. Posteriormente, o macho também colabora. A plumagem começa a surgir entre 12 ou 14 dias de vida, mas ainda não estão preparadas para cuidar de si próprio de uma forma adequada, continuando ainda por algum tempo a ser alimentadas e crias por ambos os pais.

Um bom casal criador, estando em boas condições, pode criar 2 a 3 ninhadas por ano.

Mutações
Além das Rolinhas Diamantes com plumagem com a coloração características, existem também em tom de ágata. Existe também uma mutação de dorso branco, que pode apresentar combinações com diversas cores.


Vídeo de Rolinhas Diamante




Pássaros do Portuga

(atualizado em janeiro/2013)



● Agapornis  Calafate  Calopsita  Canário Belga  Diamante Gold  Mandarim  Manon 

Rolinha Portuguesa



A Rolinha Portuguesa (Streptopelia decaocto), como é conhecida no Brasil, também é chamada de Rolinha turca, Rola, entre outros nomes, e possui variações e mutações entre si, naturais e artificialmente. É comumente encontrada no Brasil, Portugal, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai.

O canto trissilábico da Rolinha Portuguesa é um fator que agrada os criadores dessa ave, além de serem calmas.

Tamanho
Aproximadamente 30 centímetros

Características
Distingue-se da rola-brava pela sua plumagem mais lisa e pelo meio-colar preto que apresenta na parte superior do pescoço. Em voo é visível uma grande quantidade de branco na cauda, como que formando uma larga barra. 

Alimentação
É baseada em milho, tanto em grãos, quanto fubá ou canjiquinha. Também gostam muito de pão.

Reprodução
Realiza cerca de 5 posturas por ano, botando cerca de 2 a 3 ovos, que eclodem em 13 ou 14 dias. Os filhotes começam a comer sozinhos por volta de 3 ou 4 semanas de vida.

Brasil
No Brasil ela é encontrada principalmente em criadouros ou lojas, de pequeno ou grande porte. Não é comum encontrá-la solta na natureza, porque se encontra em um local diferenciado do seu habitat natural, no caso, a Europa.


Vídeos de Rolinhas Portuguesas







Pássaros do Portuga

(atualizado em janeiro/2013)



● Agapornis  Calafate  Calopsita  Canário Belga  Diamante Gold  Mandarim  Manon 

Agapornis



Agapornis é um gênero de aves psitaciformes, também chamadas de inseparáveis ou pássaros-do-amor. São aves barulhentas e ativas em liberdade e cativeiro, e dadas a demonstrações de afeto para com membros da sua espécie e humanos. Vivem em regiões secas relativamente arborizadas, em pequenos bandos e alimentam-se essencialmente de fruta, vegetais, ervas e sementes.

Tamanho e Longevidade
É uma pequena ave colorida, medindo cerca de 15 cm, variando um pouco de espécie para espécie. Podem viver até 10 anos ou mais.

Espécies
Oito nas nove espécies de Agapornis podem ser encontradas na África continental. Uma é originária de Madagascar (Agapornis canus). A. roseicollis pode ser encontrada em Angola e na Namíbia. A espécie A. personata encontra-se na Tanzânia. Cada espécie tem uma distribuição geográfica distinta.

As espécies de Agapornis são:
  • Agapornis canus - Inseparável-de-cabeça-cinzenta 
  • Agapornis pullarius - Inseparável-de-cara-vermelha
  • Agapornis taranta - Inseparável-de-asa-preta
  • Agapornis roseicollis - Inseparável-de-faces-rosadas
  • Agapornis fischeri 
  • Agapornis personatus - Inseparável-mascarado 
  • Agapornis lilianae - Inseparável-de-niassa
  • Agapornis nigrigeni - Inseparável-de-faces-pretas

Alimentação
Em cativeiro, alimentam-se de painço, alpiste, aveia, semente de girassol e milho verde.

Aves do Amor
Os Agapornis, se vistos na natureza, sempre voam aos pares. Após o acasalamento, o casal raramente se separa, permanecendo unidos até morrerem. Se for criado sozinho, torna-se triste e reservado numa primeira fase, e posteriormente pode vir a morrer de tristeza.

Quando se aproxima a época de reprodução o macho começa a alimentar a fêmea com maior frequência e ocasionalmente este tipo de comportamento é recíproco. Em cativeiro dois machos ou duas fêmeas podem se comportar como sendo um verdadeiro casal se não tiverem acesso a parceiros do sexo oposto. Essa necessidade de viver aos pares os deixou conhecidos como Inseparáveis ou Aves do Amor (Love Birds). Podem tornar-se muito sociáveis como os seus donos, mas precisam de muita atenção e carinho.



Pássaros do Portuga

(atualizado em janeiro/2013)



● Agapornis  Calafate  Calopsita  Canário Belga  Diamante Gold  Mandarim  Manon 

Novo Viveiro no Sítio dos Pássaros do Portuga

O Novo Viveiro construído no Sítio faz parte do anexo do viveiro principal, e já havia sido planejado antes, mas só foi colocado em prática no fim do mês de maio.
Ele abriga atualmente a maior parte das Rolinhas Portuguesas do Sítio.
Veja as imagens do novo viveiro e do novo panorama





Equipe Pássaros do Portuga 2009